Série B: veja a matemática do Cruzeiro na luta contra o rebaixamento

Time celeste acumula sete partidas sem vitória e está no Z4

Série B: veja a matemática do Cruzeiro na luta contra o rebaixamento

Passadas 13 rodadas da Série B, o Cruzeiro somou apenas 11 pontos, com 2 vitórias, 5 empates e 6 derrotas (28,2%), e encara a dura realidade de lutar para não ser rebaixado. Em 17º lugar, o time celeste encara o Vila Nova-GO (13º, com 14), às 16h30 de sábado, no estádio Onésio Brasileiro Alvarenga (OBA), em Goiânia. Pressionado no cargo, o técnico Mozart tentará colocar fim a um jejum de sete partidas (quatro empates e três derrotas).

Embora haja tempo hábil para uma reviravolta na Série B, o desempenho da Raposa até o momento indica que a briga será mesmo pela permanência na terceira divisão. A equipe é a mais vazada do campeonato, com 23 gols sofridos, e está há quase um mês sem ganhar - o último triunfo foi em cima do Vasco (2 a 1), em 24 de junho, no Mineirão, pela sexta rodada.

"Os pontos hoje, dentro de uma realidade, não podemos pensar diferente. Precisamos pensar em vencer o primeiro jogo, não ir muito além disso. E pouco a pouco fazer uma estrutura para sair dessa situação e, por consequência, buscar algo melhor lá na frente", afirmou o atacante Rafael Sobis, ao ser perguntado se o Cruzeiro ainda podia almejar o acesso.

O site Probabilidades no Futebol, do Departamento de Matemática da UFMG, calcula que o Cruzeiro tem 46,8% de chances de ser rebaixado. Os números mostram que a campanha ideal para permanecer na segunda divisão é de pelo menos 43 pontos. Ou seja, o time celeste teria de somar 32 dos 75 em disputa (42,6%) - algo como 9 vitórias, 5 empates e 11 derrotas.

Em 2020, o Náutico ficou em 16º, com 44 pontos, porém bastariam 40 para livrar os pernambucanos do descenso, visto que o Figueirense, 17º, encerrou com 39. Conforme os matemáticos da UFMG, a probabilidade de queda de um clube com 40 pontos em 2021 é superior a 64%.